Comunidades Tradicionais Costeiras em tempos de pandemia

Nas comunidades Tradicionais Costeiras do Ceará a pandemia do Coronavírus chega logo quando os moradores ainda enfrentam as consequências da tragédia/crime do derramamento de petróleo cru na costa nordestina. Os problemas econômicos e de saúde já estavam presentes nessas comunidades que sofriam grande queda na venda de seus pescados e na incerteza de contaminação sobre as espécies e dos riscos à saúde. Nesse contexto, o Instituto Terramar elaborou a partir dos diálogos com representantes comunitários, o documento: “ 1ª Panorâmica da Situação de Comunidades Tradicionais Costeiras e Pesqueiras do Ceará no Contexto da Pandemia do Coronavírus (Covid 19) ”.
No documento é possível identificar alguns desafios que as Comunidades Tradicionais estão enfrentando, como: o pouco acesso a informação sobre saúde e higiene; o acesso precário a atendimentos médico e hospitalar; as dificuldades em suspender atividades não essenciais e de se evitar visita de pessoas de fora da comunidade; o não acesso à merenda escolar; o não apoio do ICMBio em comunitários de Reservas Extrativas; os riscos socioeconômicos ao sobre pescadores, marisqueiras, catadores de caranguejo, agricultores/as familiares agroecológicos/as e insegurança alimentar das famílias; as dificuldades de acesso à políticas mitigadoras e de Assistência Social; e os agravos das desigualdades de gênero frente à pandemia Coronavírus.
O documento foi construído a partir de reuniões virtuais com representantes de nove territórios situados nos municípios de: Camocim, Aracaú, Amontada, Itapipoca, Paraipaba, Aquiraz, Beberibe, Fortim e Aracati. Com vistas à abrir diálogo com entes públicos atuantes no tema dos direitos, o documento foi enviado ao Ministério Público, as Defensorias Públicas do Estado e da União e para o Comitê Estadual de Enfrentamento a Pandemia do Coronavírus. Para ter acesso ao documento na integra é só clicar no link https://drive.google.com/…/1ZLAyvXOXx_iBjwHTNjtcvE0w_K…/view#coronavirus #pandemia #comunidadestradicionais